Cultura

Do classicismo ao moderno o MAC se veste nas exposições

 

O MAC (Museu de Arte Contemporânea) foi fundado em 1963 quando a USP recebeu o acervo do antigo MAM (Museu de Arte Moderna), dentre as obras que ele recebeu tinha Amedeo Modigliani, Pablo Picasso, Joan Miró, Alexander Calder, Wassily Kandinsky, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Emiliano Di Cavalcanti, Alfredo Volpi, Lygia Clark e uma estupenda coleção de arte italiana do começo do século XX. Localizado no antigo prédio do DETRAN, que foi reformado e entregue a USP para gestão e manutenção, um lugar único para uma experiência incrível! O prédio conta com oito andares com as mais diversas exposições e um acervo incrível que te proporciona uma experiência única.

Atualmente, o prédio exibi simultaneamente diversas exposições, algumas a longo prazo, outas temporárias. E é sobre essas obras que estão sendo exibidas que iremos falar um pouco.

A exposição coletiva “Visões da Arte 1900-2000” exibe obras do acervo do próprio MAC SP. Ao todo, são mais de 160 obras que apresenta as obras em conjuntos definidos pelas principais escolas e movimentos artísticos deste período, dando destaque às suas crises e rupturas. Essa exposição não tem data para ser encerrada.

Na exposição de Gustavo Von Há, vemos pinturas que usam como inspiração as pinturas modernistas das décadas de 1950 e 1960. O acervo também possui desenhos criados a partir de cópias de desenhos de Tarsila do Amaral. A exposição de Von Ha fica até dia 15 de fevereiro.

“A casa” é aquela exposição que na sua simplicidade surpreende o público. Ao adentrar na exposição você entra naquela casa, com móveis como qualquer uma outra, mas que a sua estranheza faz contrariar as expectativas que o observador possui.

“A Casa faz parte da pesquisa intitulada Temas da Arte Contemporânea. O estudo leva em conta a ideia de que, durante a história ocidental, até o final da chamada era da arte moderna, em meados do século XX, a sistematização predominante para o ensino e a apresentação da arte era feita cronologicamente, isto é, seguindo uma lógica temporal. Hoje, com o anunciado “fim da arte”, ou melhor, o “fim da história da arte”, as propostas de apreciação e aprendizado podem ser realizadas sob uma variedade de recortes, com temporalidades, temas e enunciados diferentes e muitas vezes justapostos. ” – Katia Kanto, curadora. A exposição permanece até 2 de abril.

A exposição “Vizinhos distantes” traz ao MAC grandes obras latino-americanas de seu acervo. São pinturas, esculturas, instalações, objetos, fotografias, registros e projetos de performances, vídeos e publicações de artistas que mostram o quanto nosso continente é rico em diversidade. Essa exposição também fica até dia 2 de abril.

“A gravura e o compasso” “Traçados e abstrações” “Entre mídias” “ Poética” e “Classicismo, Realismo, Vanguarda: Pintura Italiana no Entreguerras” são outras exposições que estão no acervo. São mais de 100 obras que mostram o quanto o Brasil produziu e ainda produz grandes obras de arte.

E por último e minha obra preferida. Quando chegamos no museu, você é recepcionado um o gato gigantesco deitado no hall do prédio. De olhos grandes e vibrantes, ele ronrona a todo momento. Eu aproveitei para tirar várias fotos! Ufa! São 8 andares que te farão perder a noção e ficar horas ali perdido na história e suas riquezas através da arte.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Posts Relacionados

Previous Post Next Post

You Might Also Like